Internamento em tempos COVID-19

Colheitas periódicas para testes SARS-CoV-2 a doentes internados

A “Estratégia Nacional de Testes para SARS-CoV-2” recomenda a colheita periódica de testes laboratoriais de rastreio a doentes internados.  

Em consonância com essa recomendação, todos os doentes internados no Centro Hospitalar Universitário do Porto (CHUPorto) farão colheitas regulares para o SARS-CoV-2 durante o período de internamento de acordo com o seguinte esquema:

  • Previamente à admissão no internamento
  • Cinco dias após a primeira colheita
  • Dez dias após a primeira colheita
  • Após o décimo dia as colheitas serão realizadas de sete em sete dias até à alta hospitalar

Quem se exclui deste esquema periódico de testagem?

  • Doentes internados nas áreas dedicadas à COVID-19 (enfermarias e unidades intensivas);
  • Doentes com diagnóstico de COVID-19 nos últimos 3 meses;
  • Latentes, crianças e adolescentes;
  • Outros doentes, casos a caso, por decisão do médico assistente ou do diretor de serviço.

Acesso à Informação 

O Diretor de Serviço ou Responsável de Unidade tem a competência (delegável) e a responsabilidade de prestar informações a um familiar ou representante legal, de modo proativo, não esperando o contacto.
As informações serão facultadas:

  1. Mediante autorização do doente ou representante legal, que indicará o número do telefone recetor;
  2. Por linha telefónica direta e institucional, cuja configuração deverá ser solicitada ao Serviço de Sistemas de Informação ou por telechamada.
Acesso a comunicações móveis

O uso de telemóvel ou de outros equipamentos eletrónicos de comunicação, em qualquer enfermaria ou unidade, é um direito garantido ao doente:
De acordo com regras ou leis de:

  1. Etiqueta e educação, designadamente som desativado ou em volume mínimo, bem como conversas breves e em voz baixa
  2. Privacidade, proteção de dados, integridade de imagem pessoal e institucional, designadamente a proibição de gravar imagens ou sons
  3. Entre as 08h00 e as 21h00
  4. Sujeito a modulação temporária e justificada pela equipa de saúde, pelas circunstâncias ambientais ou pela condição clínica

Receção e devolução de bens de doentes internados

A receção e devolução de bens de doentes internados ao acompanhante por si designado, rege-se pelas seguintes regras:

  1. O Serviço Informativo faz a receção dos bens de natureza pessoal (ex: roupa limpa, produtos de higiene, água, equipamentos de comunicação, livros ou afins), bem como a eventual devolução (ex: roupa utilizada ou objetos desnecessários)
  2. Não se aceitam peças de ourivesaria, cartões bancários ou outros objetos de valor relevante
  3. Os bens deverão ser bem embalados e inequivocamente identificados, quer na entrega, quer na devolução
  4. O Serviço Informativo notifica o serviço ou unidade de internamento, imediatamente após a receção
  5. Assistentes operacionais do serviço ou unidade permutam os bens com o Serviço Informativo
  6. Horários destas operações: 11h00-12h00 e 17h00-18h00